Follow by Email

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Vícios de linguagem




Vícios de linguagem são desvios da norma padrão de uma dada língua. Há vários tipos, haja vista a gama de problemas que podem ocorrer tanto na fala quanto na escrita. Os vícios estão aí, uns precisam ser combatidos, outros, aceitos.
Meu grande vício de linguagem são os neologismos. Outro dia escrevi em um texto o verbo oportunizar, vi-o por aí e gostei. Tratei-o de forma tão pomposa, dando-lhe característica mesoclítica. De repente, do nada, veio a dúvida. Corri ao VOLP e não o encontrei (já falei desse verbo aqui no blog, lembram?). Havia dado muita importância a um verbo que nem sequer existe. Pena! Estava tão bem encaixadinho. É verdade, neologismos são meus favoritos, porém sempre me dirijo ao meu grande amigo tira-todas-as-dúvidas, o VOLP. Assim é que ajo para evitá-los na escrita.

Há vícios de linguagem até em embalagem de balas:

  •  bala dura sabor artificial de cereja e eucalipto colorida artificialmente e aromatizado [não é bala?] artificialmente”. (Barbarismo morfológico se não me engano).

Nas embalagens de leite de caixinha também:

O Ministério da Saúde adverte:
  •  O aleitamento materno evita infecções e alergias e é recomendado até os 2 (dois) anos de idade ou mais.
Se compararmos com a frase: Por favor, liste as televisões com preços até 900 reais ou mais, soa muito estranho, não soa? Alguém explica?

Contudo, o vício de linguagem que mais presencio é “Todos os três, quatro, cinco seis...”.  Todos não são todos?

 Agora, o vício de linguagem que não deveria mais ser classificado como solecismo* de colocação é: Me perguntaram. Já está mais do que na hora de ele ser aceito, não está? Ele está em todos os lugares e em todas as bocas, até na de Oswald de Andrade: 

Pronominais

Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro


Solecismo: erros de sintaxe que vão de encontro às normas de concordância, de regência ou de colocação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário