Follow by Email

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Conjunções coordenativas


Em homenagem aos meus alunos (oi!!!!), resolvi falar um pouco das dúvidas que têm aparecido em nossas aulas:

Ou..ou / ora...ora são conjunções que expressam alternância, mas isso não significa que elas sejam sinônimas. Vejam os exemplos:

  • Ou Bruna ou Júlia falará sobre as personagens da obra de Franz Kafka.
O que estou dizendo aqui? Que uma delas irá apresentar o trabalho.

No entanto, se eu disser:

  • Ora Bruna ora Júlia falará sobre as personagens da obra de Kafka.
Que quero dizer? Que as duas irão fazer um revezamento: em um momento uma, em um momento a outra.
Outro exemplo:
  • Ou Lorraine ou Gabriela será presidente da república.
Mais uma vez, uma das duas assumirá o cargo.

Se a frase for:

  • Ora Lorraine ora Gabriela será presidente da república, o significado muda! As duas irão revezar o cargo. Cada dia uma?:-)

Outra conjunção usada erroneamente é “por isso” como sinônimo de “porque”.

Vejam os exemplos:

  • Tinha que estudar por isso não fui à praia.
Se fizermos a substituição de “por isso” por “porque” ficará assim:

  • Tinha que estudar, porque não fui à praia.
 Faz sentido? Até pode fazer sentido, mas em relação à frase anterior, estou dizendo outra coisa. Na primeira, falo sobre a razão de eu não ter ido à praia (eu tinha que estudar). Já na segunda, é como se alguém me dissesse: se você não for à praia, vai ter que estudar. Optei, então, por estudar.

Para substituirmos e o sentido da frase manter-se o mesmo, precisamos fazer mudanças:

  • Tinha que estudar por isso não fui à praia.
  • Não fui à praia, porque tinha que estudar.
“Por isso” expressa conclusão. Pode, então, ser substituído por “logo”, “portanto”, “então”.
“Porque”, nesse caso, expressa explicação, pode ser substituído por “pois”.

Outra:

As conjunções que expressam adição: e, não só...mas também, não só...como também; necessitam de adaptação:

  • O Guto leu o artigo e percebeu um assunto que poderia tornar-se uma tese de doutorado.
Ao substituirmos “e” por “não só...mas também”, não basta colocar no lugar assim sem mais nem menos, precisamos inserir o verbo entre as expressões:

  • O Guto não só leu o artigo mas também percebeu um assunto que poderia tornar-se uma tese de doutorado.

É isso aí! Até mais!:-)

2 comentários:

  1. Olá janete, sempre fui uma grande fã do saber as expressões, colocações do nosso português. Nem sempre reservo algum tempo para isso (infelizmente). Mas fico feliz pelo seu blog, pois aqui posso aprender sempre um pouco mais.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Que bom Lorenalú, fico muito feliz em poder ajudar..:-) Se quiseres saber algo em especial, é só falar!
    Beijo,
    janete

    ResponderExcluir