Follow by Email

domingo, 17 de abril de 2011

Figuras de linguagem: parte II




O que são figuras de linguagem? Parte II...a complicação..:-)

Antítese: Essa é fácil! A palavra já diz tudo, não é? Expressa uma oposição de conceitos ou de significados em uma mesma frase:

  • “Tive ouro, tive gado, tive fazendas. Hoje sou funcionário público.” Carlos Drummond de Andrade.

Nesse exemplo Drummond quer nos dizer que já teve muito e agora tem pouco.


Paradoxo ou oximoro: Quem já não ouviu falar em paradoxo? Aquelas ideias que são incompatíveis, mas que às vezes tornam-se belos poemas como os de Camões em Os Lusíadas:

  • "Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer [...]”.


Ironia: velha conhecida dos brasileiros. Quem não faz uso da ironia em seu discurso diário? A ironia estabelece-se quando queremos dizer exatamente o contrário do que expressamos.

Vejam esta frase de Monteiro Lobato:

  • “A excelente dona Inácia era mestra na arte de judiar crianças.”


Eufemismo: fazemos uso dessa figura para abrandarmos, suavizarmos uma fala negativa. Ao invés de dizermos que alguém morreu, dizemos que “descansou”. Isso é eufemismo.


Hipérbole: essa é uma figura que brasileiros amam usar...o exagero..

  • Já te falei milhões de vezes...
  • Telefonei para você umas cem vezes, por que você não atendeu?

Até parece, não é?


E há mais figuras! Continuo na semana que vem..:-)

2 comentários:

  1. Muito legal Janete! Adorei relembrar as lições do tempo de escola.


    o blog está show.

    bjs

    Adriana de Souza
    pescadordecultura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Adri...:-)

    Verdade, né? Sempre bom relembrar..:-)
    Obrigada pelas visitas!
    Beijo,
    janete

    ResponderExcluir