Follow by Email

sábado, 7 de maio de 2011

Figuras de linguagem: parte IV





  • Silepse:


Autores renomados cometem “inadequações” gramaticais as quais são chamadas de licença à intelectualidade ou licença poética.

A silepse trata disso. A concordância verbal ou nominal, por exemplo, refere-se ao sentido que se quer dar e não à regra gramatical.

Veja este verso de Carlos Drummond de Andrade:

  • “Ficamos por aqui, insatisfeitos, os seus amigos.” O autor quer incluir-se nessa insatisfação.

  • Elipse:


É a omissão de um termo que se pode prever ou que está já subentendido.

 Veja o exemplo:

  • De manhã, bem humorada; de tarde, uma malvada.

Nessa frase omiti a expressão “ela é”, mas que no contexto não faz falta, fica fácil de entender o que quero dizer. Houve, então, a elipse da expressão “ela é”.


  • Zeugma:


 Figura parecida com a elipse, pois, também, trata da omissão de um termo, porém tal termo omitido foi anteriormente expresso. Exemplo:

  • Eu jogo tênis; meu marido, futebol.

Nesse caso houve a omissão do verbo “Jogar” – meu marido joga futebol.

Tudo verdadeiro até agora a não ser essas duas pequenas mentirinhas: eu não jogo mais tênis. Que pena! E meu marido não joga futebol...:-)

Um detalhe: ao omitirmos o verbo, usamos a vírgula.

  • Assíndeto:


 Síndeto significa conjunção, conectivo. Se dissemos assíndeto, significa “sem conjunção”. Assíndeto, portanto, é uma figura de linguagem na qual omitimos as conjunções coordenativas entre elementos de uma oração. Exemplo:

  • Acordou; comeu frutas, pães, bolos; reclamou.


Houve a omissão da conjunção aditiva “e”.

O excesso de uso de síndetos, chamado de polissíndeto, é uma figura de linguagem da qual já falei aqui. Ela encontra-se em: Figuras de linguagem: parte III.



E ainda há mais. Até a próxima!

Orações subordinadas adjetivas

As orações subordinadas adjetivas possuem função de adjetivo, pois, grosso modo, dão certa qualidade ao sujeito, ou seja, caracterizam-no. Exemplo:
  •           Machado de Assis, que é chamado de Bruxo do Cosme Velho, foi um grande escritor brasileiro.

A frase “Machado de Assis foi um grande escritor brasileiro” é a oração principal. Já a frase “que é chamado de Bruxo do Cosme Velho” é classificada em oração subordinada adjetiva porque caracteriza o sujeito (Machado de Assis). Até agora tudo bem?:-)

As orações subordinadas adjetivas classificam-se em 2:

·         Explicativas e Restritivas.

As Explicativas vêm sempre entre vírgulas e como elas apenas acrescentam uma informação extra sobre o sujeito podem ser retiradas sem prejuízo ao sentido do que se quer dizer.

Voltando à frase sobre Machado:
  •  Machado de Assis, que é chamado de Bruxo do Cosme Velho, foi um grande escritor brasileiro.

“que é chamado de Bruxo do Cosme Velho” é explicativa. Por quê? Porque traz uma informação a mais sobre o autor e a frase pode ser retirada sem mudar o sentido que queremos dar: Machado de Assis foi um grande escritor brasileiro.

Já a frase:

     ·         Os alunos que praticam esporte vão poder participar da gincana de Junho.

é diferente. Há duas orações aqui:

  •       Os alunos vão poder participar da gincana de Junho – (oração principal).
  •             que praticam esporte (oração subordinada adjetiva restritiva).

Por que a oração “que praticam esporte” é restritiva”? Primeiramente, porque não há vírgulas (restritivas nunca vêm entre vírgulas). Em segundo lugar, essa falta de vírgulas torna a palavra “os alunos” mais limitada, ou seja, há dois grupos de alunos: aqueles que praticam esporte e os que não praticam, e nesse caso, somente os que praticam é que vão poder participar da Gincana.

Se eu dissesse:

  • Os alunos, que praticam esporte, vão poder participar da gincana de Junho.

A que alunos me refiro? A todos. Todos praticam esporte, portanto todos vão poder participar da Gincana.

Nesse caso a oração “que praticam esporte” é explicativa por causa do uso das vírgulas, podemos, assim, retirá-la do texto sem prejudicar o sentido: Os alunos vão poder participar da gincana de Junho.

Lembrem-se:

  •          As explicativas podem ser retiradas do texto, pois são apenas informações adicionais sobre o sujeito. Vêm sempre entre vírgulas.

  •          As restritivas não podem ser retiradas, pois elas trazem informação essencial no entendimento da frase. Não possuem vírgulas.



Qual a diferença de sentido entre as frases a seguir?

  •          As indústrias que estão em greve receberão punição do sindicato, pois o acordo foi selado.
  •          As indústrias, que estão em greve, receberão punição do sindicato, pois o acordo foi selado.